sábado, 29 de janeiro de 2011

O CÃOZINHO ABANDONADO

Encontrei este vídeo na internet e fiquei bastante sensibilizado. O autor não se identificou, fez as cenas e descreveu a situação. Traduzi o texto do inglês e o resultado foi uma pequena crônica que editei e aqui está para vocês. Gostaria imensamente que usassem o espaço dos comentários para tecerem suas considerações a respeito.

3 comentários:

  1. Muito triste mesmo.
    O documentário retrata bem um tipo de gente desnaturada e desprovida de sentimentos ou compaixão e por outro lado pessoas caridosas que fazem o bem porque acreditam que todo sofrimento pode e deve ser evitado ou aliviado.
    Agora, o cachorrinho enxotado continuava na frente da casa do ex dono, então fica a pergunta: o que será que eles viram em nós?
    Mario

    ResponderExcluir
  2. Atitude nobre a sua. Esse é um problema crônico que existe em muitos lugares no pais e no mundo afora aqui no Brasil por exemplo, não e todas as cidades que tem canil e recolhe animais abandonados, a minha por exemplo tem canil e até tratam mas não recolhem os da rua, devia sim haver uma lei ou uma legilação que obriga-se todas as prefeituras a ter canil e recolher tratar esses animais para futuras doações e bem como dar uma punição mais severa para que maltrata e os abandona, se existi-se leis mais severa e se cada um cuida-se com responsabilidade do seu animais com certeza haveria menos cenas degradante como esta. Uma pessoa que é capaz de abandonar um animal nessas condições seria capaz de fazer isso com uma pessoa também, porque não! gente ímpia e má, o mundo está cheio! mas o pior é a homição e o silêncio dos bons já dizia Mather Luther King.
    A propria blíblia ja fala! os impios[impiedoso] não herdarão o reino, e os animais são nossos irmãos menores que não receberam a faculdade do raciocinio abstrato como nós mas merecem serem tratados com respeito e dignidade.

    ResponderExcluir
  3. Aqueles que se propõem a ter um animal de estimação, precisam ter a consciência de que estão lidando com um ser vivo, dependente, domesticado contra a sua vontade.
    Eles se tornam responsáveis por um ser vivo.
    Um animal de estimação não é um brinquedo que se usa, e, depois, se descarta.
    É simplemente lamentável.
    Rogoldoni

    ResponderExcluir

Deixe aqui seus comentários ou críticas. Serão bem-vindos.