quinta-feira, 24 de março de 2011

CANTINHO DA POESIA

Galera, outro dia estava relendo Castro Alves que ficara na minha memória desde os tempos de colégio. Navio Negreiro sempre foi para mim uma obra-prima. Aproveitando cenas do filme Amistad, resolvi interpretar as estrofes 4,5 e 6 do poema.Não é uma poesia romântica, mas é uma riqueza de nossa literatura. Espero que gostem.

Um comentário:

Deixe aqui seus comentários ou críticas. Serão bem-vindos.