domingo, 8 de maio de 2011

DIA DAS MÃES

Reproduzo aqui com o maior prazer o poema sobre o dia de hoje, escrito pela amiga e poeta Maristel Dias.


Mãe
Quem és, senhora, qual anjo da guarda,
Passeias em torno desde que nasci?
E de mim não desistes, se choro não tardas
Trazendo o consolo que eu não mereci

Parece até que  só o que lhe dou, enfim,
É sofrimento, tristeza e preocupação.
E tu, que tola, ainda rogas por mim
Como se te agradasse sofrer decepção...

Se sabes que eu sofro, vejo-te aflita
E vibras feliz se vês o meu sucesso.
Guardiã teimosa desta tua desdita.

Veio de ti para o teu sangue sugar,
Frágil ser, através de ti, fez seu ingresso,  
Ingresso terrestre, para te escravizar...
 

Um comentário:

  1. Parabéns pela postagem,
    Parabéns Maristel!
    Com carinho,
    Rosângela

    ResponderExcluir

Deixe aqui seus comentários ou críticas. Serão bem-vindos.