terça-feira, 31 de maio de 2016

quinta-feira, 12 de maio de 2016

SOUND FORGE 7 - EFEITOS

Continuação das explicações sobre os efeitos notáveis do editor. O próximo tutorial ainda tratará desse assunto, pois o software possui uma infinidade de plugins espetaculares.


ZÉ MODESTO

Zé Modesto, 43 anos, paulistano, é historiador e compositor. Formado em História pela Universidade de São Paulo, atua há dezoito anos na Educação, como professor e orientador pedagógico. Em escolas e bibliotecas públicas, desenvolveu oficinas de História e Música, como "Nosso Século, nossa canção – uma história da república brasileira aos sons da Música Popular Brasileira". Como compositor, gravou os álbuns Esteio (2004) e Xiló (2008) com canções suas nas vozes de Kleber Albuquerque, Marcelo Pretto, Renato Braz e Ceumar, entre outros.

Agora, no final de 2015 lançou mais um álbum chamado AO PÉ DO OUVIDO, que breve estaremos divulgando aqui no blog. Clicando AQUI, vocês podem curtir várias de suas composições todas muito belas. Como amostra, ouça abaixo uma de suas canções.



sexta-feira, 6 de maio de 2016

ANGELINA JORDAN WHAT A DIFFERENCE A DAY MAKES

Assistam agora uma menina de 8 anos, Angelina Jordan, vencedora do Got Talent de 2014 da Noruega interpretando essa canção. É surpreendente seus recursos vocais e seu timbre lembra bem a Dinah Washington, embora os mais jovens a comparem com a Amy Winehouse.

terça-feira, 3 de maio de 2016

Bateria que dura a vida toda

Já pensaram se isso der certo?





VERÔNICA SABINO

Verônica Sabino canta feliz
(Aquiles Reis)



Verônica lançou Esse Meu Olhar (MPB), álbum em que ficam latentes os seus atributos vocais e sua capacidade para navegar a bordo de uma nau que resiste ao tempo e às tempestades. Com afinação comprovada desde muito tempo, Verônica escolheu gravar ao vivo – desafio que põe à prova qualidades e defeitos dos que se valem do recurso de cantar sob o olhar da plateia.
O que se ouve ao longo de doze faixas é uma cantora plenamente conhecedora de suas qualidades e de suas limitações. Uma intérprete amadurecida que soube escolher o repertório que melhor se encaixa em sua extensão vocal.
Verônica canta feliz. E a felicidade fica nítida nas frases melódicas cantadas como se cada nota resumisse a sua própria existência. É verdade também que, no calor do palco, tendo a plateia a nortear seus sentimentos, vez por outra a respiração descola um pouco do ideal – ao vivo, movida pela emoção, em alguns momentos Verônica tendeu a despejar o ar no meio de uma frase, dele sentindo falta no final.
Verônica amadureceu. Parece mesmo que o longo tempo em que ficou longe do contato com o público deixou-a saudosa do ofício de cantar para acalmar corações, principalmente o seu, e de ouvidos atentos à sua voz.
Composto de seis músicas, cada uma numa faixa, e de treze outras canções ajuntadas em seis pot-pourris, o repertório é uma grande salada na qual os sabores se amalgamam, resultando em paladares agradáveis para gostos variados. Para temperar, um quarteto de instrumentistas que acompanhou a gravação ao vivo, no Cultural Bar, em Juiz de Fora: Chico Werneck (piano, acordeom e vocais), André Vasconcelos (baixo acústico e vocais), João Hermeto (percussão, bateria e vocais) e Sérgio Chiavazzoli (violão, guitarra e vocais, além de arranjador e diretor musical do CD).
As primeiras cinco faixas dizem da preferência de Verônica por compositores do período pré-bossa nova: Tom Jobim, Aloysio de Oliveira, Maysa, Custódio Mesquita, Ewaldo Ruy, Dolores Duran, Vinicius de Moraes, Haroldo Barbosa, Carlos Lyra, dentre outros.
A partir da faixa seis e até a metade do pot-pourri da faixa onze, autênticos sucessos bossanovistas. Alguns deles contaram com a competente participação de Roberto Menescal tocando violão e dividindo o canto com Verônica, e foram compostos pelo próprio Menescal e por Carlos Lyra, Ronaldo Bôscoli, Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle. Uma ressalva: em meio a essas bossas, “Garota Nacional”, sucesso de Samuel Rosa e Chico Amaral, soa deslocada.
Para fechar a tampa, como que pairando soberano acima de gêneros musicais, “Nada Será Como Antes” (Milton Nascimento e Ronaldo Bastos), que contou com a sempre brilhante participação vocal de Milton Nascimento. Meu Deus do céu! Seu dueto com Verônica já vale o CD.
Feito uma renovada dama da noite, uma autêntica lady crooner de voz aveludada e em pleno apogeu, em Esse Meu Olhar Verônica Sabino brinda seu público com interpretações impregnadas de vigor e sensualidade.

(Aquiles Rique Reis, músico e vocalista do MPB4)
VERÔNICA SABINO - POR CAUSA DE VOCÊ /INSENSATEZ from JOREBRI on Vimeo.