segunda-feira, 26 de abril de 2010

MUSICA DO DIA 188

Mais uma colaboração da Rachel. Trata-se de uma das maiores divas do jazz norte-americano, a Lady Day como era chamada Billie Holiday. Sinceramente, uma das minhas preferidas "jazz singers". Fiquei muito feliz em me deliciar com MY MAN, que eu nunca tive oportunidade de conhecer. Traduzi a letra e reparto com vocês estes deliciosos momentos de uma interpretação profunda e melancólica, digna de despertar emoção.

2 comentários:

  1. Billie Holiday, nasceu qdo seu pai tinha 15 anos de idade e sua mãe 13 anos. Ñ é necessário ter-se mta imaginação, para saber como foi a vida de Billie. Nestas trajetórias, sabemos, há sempre abuso sexual, psicológico e fome. Fome de tudo. Fome de pai e mãe: talvez a pior fome para uma criança, para uma adolescente... Talvez com o intuito de compensá-la por tantas perdas, abandonos, indiferenças, Deus lhe deu uma voz, inigualável, um ouvido ñ menos bom. Não estudou. Ñ fez curso regular, menos ainda, cursou uma escola de música. Aprendeu com o ouvido e utilizou, com sabedoria, sua voz rouca e única. Sua vida foi só tristeza e dor. A partir de 1940, apesar do sucesso, Billie Holiday, sucumbiu ao álcool e às drogas, passando por momentos de depressão, o que se refletia em sua voz. Pouco antes de sua morte por overdose de drogas, Billie Holiday publicou sua autobiografia em 1956, Lady Sings the Blues, a partir da qual foi feito um filme, em 1972, tendo Diana Ross no papel principal. Olhando para seu rosto, cantando,no clip, vejo sua tristeza, q talvez por ser tanta, ñ coubesse mais, dentro de si.
    abraços, Rachel.
    Fonte: várias.

    ResponderExcluir
  2. Vera Lúcia - vguzman@uol.com.br3 de maio de 2010 19:54

    Nem preciso falar muito, essa é minha cantora
    de jazz favorita. Esse vídeo é simplesmente maravilhoso e ficou enriquecido com a irretocável tradução do Renato.
    Parabéns!
    Beijos,
    Vera Lúcia

    ResponderExcluir

Deixe aqui seus comentários ou críticas. Serão bem-vindos.